Plasticidade e Força

Tecido Acrobático

Conheça mais sobre nossas aulas de Tecido Acrobático

TECIDO ACROBÁTICO

O tecido é uma modalidade aérea circense, também denominada tecido acrobático, tecido aéreo ou tecido circense. Diferentes de outras modalidades antigas do circo, como malabares, acrobacias e trapézio, o tecido se popularizou nos últimos anos.

Sobre a história, há relatos de que houveram performances em grandes panos em festividades dos imperadores da China por volta do ano de 600 d.C., utilizando a seda, na época. Já no ocidente, um dos relatos mais antigos é uma experiência nas décadas de 1920 e 1930, em Berlim (Alemanha), por alguns artistas que inovaram e apresentam movimentos utilizando as cortinas de um cabaré.

Não se sabe quem inventou, acredita-se que o tecido é uma extensão do trabalho de corda lisa. Alguns relatos indicam que foi na França que o tecido circense foi aprimorado após testes com diferentes materiais (cordas, tecidos, correntes, etc.). Assim foi possível chegar à utilização de um material bastante resistente, ao mesmo tempo, com elasticidade. A atual liganete. O mais importante para a prática é que o material suporte o peso do praticante multiplicado até quatro vezes.

A inexistência de regras e a necessidade de inovar e criar, típicas das artes cênicas, fez surgir diferentes formas de prática do tecido na modernidade. Deste modo, a forma de fixar (amarrar) o tecido, assim como a altura, pode variar, e estes fatores influenciarão os tipos de travas (ou chaves), truques e quedas que poderão ser executados.

Geralmente, o tecido é fixado acima dos 4 metros de altura (até 12 aprox.), mas para iniciantes na modalidade pode e deve ser realizado a poucos metros de altura, garantindo maior segurança. Gradativamente, e à medida que o praticante for se desenvolvendo e adquirindo qualidades físicas e técnicas, a altura pode ser alterada. A prática do tecido vem aparecendo em diversos contextos (lugares), não apenas debaixo da lona do Circo tradicional, mas também em academias, teatros, escolas, universidades, boates, clubes, etc. Seguindo os três principais motivos das atividades circenses: recreativo, educativo e profissional. O tecido circense já é praticado nestas três perspectivas e seus praticantes, geralmente, são pessoas que se apaixonam pela beleza e plasticidade desta modalidade, independentemente do objetivo de transformar-se num artista.

No Circênico, a atividade é muito amada pelos alunos, seja por esporte, diversão ou treinamento para espetáculos. Ela desenvolve muito além das habilidades físicas como força e flexibilidade, também trabalhando o desafio, a confiança e autoestima.

Dos aparelhos aéreos mais tradicionais das artes circenses (trapézios e suas variações, lira, bambu, corda indiana, argola olímpica etc.), o tecido é um dos aparelhos de mais fácil aprendizagem, sobretudo porque o material se molda ao corpo e se adapta de acordo com as características do praticante.

Nayara Vernier

Professora

Saiba mais

Tatiane Marques

Professora

Saiba mais